Marque a sua Consulta

Cirurgia para Tumores de Ovários

O Câncer de Ovário é uma doença que atinge muitas mulheres, apesar de ser menos frequente que o câncer de colo de útero, porém é mais difícil de ser diagnosticado. Geralmente é uma doença silenciosa que, na maioria dos casos, se manifesta apenas no estágio avançado.

O principal tratamento para a maioria dos cânceres de ovário é o procedimento cirúrgico. A cirurgia depende do estado de saúde do paciente e do estado de disseminação da doença. Em mulheres que estão no período de fertilidade, em alguns casos, é possível tratar a doença sem a remoção de ambos os ovários e do útero.

A cirurgia do carcinoma epitelial tem 2 objetivos principais: estadiamento e diminuição do volume, retirando o máximo possível do tumor:

Estadiamento do Carcinoma Epitelial de Ovário

O primeiro objetivo é diagnosticar até onde a doença se disseminou, o que implica na remoção do útero (histerectomia), ovários e trompas de Falópio (ooforectomia bilateral). Além disso, são removidos o omento (camada de tecido gorduroso, que cobre os órgãos abdominais) e alguns gânglios linfáticos na pelve e do abdome. Todas as amostras de tecido e líquido removidos durante a cirurgia são enviadas para análise histopatológica.

Diminuição do Tamanho do Tumor Epitelial de Ovário

O outro objetivo importante da cirurgia do tumor epitelial de ovário é retirar o máximo possível do tumor, isto é, diminuir o tamanho do tumor. Essa redução é muito importante para qualquer paciente com câncer de ovário disseminado por todo o abdome. O objetivo da cirurgia é não deixar nenhum tumor maior que 1 cm. Algumas vezes, o cirurgião terá de remover uma parte do cólon, em outros casos, pode envolver a remoção de parte da bexiga, e até mesmo a remoção do baço ou da vesícula biliar, bem como parte do estômago, fígado ou pâncreas.

Cirurgia para Tumores de Células Germinativas de Ovário e Tumores Estromais do Ovário

Para os outros tipos de câncer de ovário (tumor de células germinativas e tumores estromais), o principal objetivo da cirurgia é remover o tumor.

A maioria dos tumores de células germinativas do ovário são tratados com histerectomia e salpingo-ooforectomia bilateral. Se o tumor estiver em apenas um dos ovários e a paciente ainda deseja ter filhos, apenas o ovário que contém a doença e a trompa de Falópio do mesmo lado são retirados.

Os tumores estromais de ovário estão frequentemente confinados a apenas um dos ovários, de modo que a cirurgia pode ser limitada à retirada apenas desse ovário. Se a doença se espalhou, mais tecido terá que ser retirado. Isto pode implicar numa histerectomia e salpingo-ooforectomia bilateral e ainda a cirurgia de diminuição do tamanho do tumor.

Quando é necessário a remoção de ambos os ovários e útero significa que a mulher não será mais capaz de engravidar, e que também deixará de ter os ciclos menstruais.

Para finalizar, segue uma dica importante: a realização de um tratamento cirúrgico com sucesso depende da execução de um bom profissional, portanto procure sempre um médico de confiança e com boas referências.

Receba dicas para
cuidar da sua saúde