A Endomarcha e o Movimento Março Amarelo: o que você sabe sobre isso?

As leitoras assíduas do nosso blog já sabem que a endometriose é uma doença silenciosa — a ausência de sintomas específicos dificulta o diagnóstico — que acomete milhões de mulheres em idade reprodutiva.

No sentido inverso, são muitos os incômodos para a mulher portadora: as dores pélvicas podem resultar em uma condição incapacitante, que afeta, além do corpo, o psicológico, podendo levar a um quadro de depressão. Em casos mais graves, as pacientes podem apresentar complicações para engravidar.

Mas como combater esse inimigo capaz de promover tantos desgastes? Uma das estratégias mais eficientes é que mais pessoas conheçam sobre o assunto. Chamar a atenção para a causa é um dos objetivos da Campanha Março Amarelo, que promove a EndoMarcha.

O que é a Campanha Março Amarelo?

Assim como o Outubro Rosa ou o Novembro Azul, que visam chamar a atenção para os cânceres de mama e de próstata, respectivamente, o Março Amarelo é um movimento que visa conscientizar as mulheres sobre a endometriose.

A doença surge quando fragmentos do endométrio – como é chamado o tecido que reveste o útero – não são expelidos pela menstruação e acabam migrando para outras partes do corpo.

Além da região pélvica, os resíduos podem ser transportados para a bexiga, o intestino ou até mesmo o pulmão. Acontece que, sob a ação dos hormônios da menstruação, o metabolismo é o mesmo e, independente da região em que estejam localizados, tem início um processo de sangramento.

Quando será realizada a Endomarcha 2018?

A Endomarcha é o principal evento realizado durante a Campanha Março Amarelo. No dia 24, último sábado do mês, mulheres de 14 cidades brasileiras sairão às ruas pelo quinto ano seguido em busca de visibilidade para as cerca de 6 milhões de portadoras da doença. O ato se repetirá em, pelo menos, outros 80 países.

Na Bahia, além da capital, Salvador, também haverá uma concentração em Feira de Santana. Entre os municípios nos quais a mobilização está confirmada estão São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC), Curitiba, Londrina e Maringá (PR), Campo Grande (MS), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Belém (PA) e Boa Vista (RR).

A jornalista Caroline Salazar, uma das embaixadoras do movimento, orienta que as mulheres que estejam dispostas a participar preencham uma ficha de inscrição: o cadastro serve para contabilizar a presença e também criar uma rede de contatos, que facilite a interação entre as portadoras.

Quais são as principais motivações da Endomarcha?

No Brasil, são poucas as cidades que possuem um Centro de Tratamento Especializado em Endometriose, a exemplo do que foi instalado em Salvador em novembro.

A proposta do projeto baiano é oferecer à paciente um atendimento multidisciplinar, para cuidar das implicações físicas e emocionais dessa patologia. Em comum, toda a equipe reconhece a importância de realizar uma abordagem humanizada para resgatar a qualidade de vida da mulher.

Mas, como essa não é uma realidade acessível a maioria das brasileiras, a organização da Endomarcha luta para que a endometriose seja reconhecida como uma doença social: em termos práticos, a ideia é que sejam criadas políticas públicas de combate à doença.

Você se interessou em participar da Endomarcha, que é o auge do movimento Março Amarelo? Compartilhe este post em suas redes sociais para mostrar aos seus amigos o seu apoio a essa causa!

Desde a vida acadêmica, acompanhando Dr. Antonio Travessa – referência em Cirurgia ginecológica – Dr. Marcos Travessa desenvolveu especial interesse pelo Tratamento cirúrgico avançado de patologias ginecológicas. Sempre buscando o aperfeiçoamento da técnica cirúrgica, após sua formação ginecológica, especializou-se em cirurgia geral, momento que teve contato com a cirurgia videolaparoscópica. A partir desse instante, dedicou-se a especializar-se, dia a dia, no tratamento cirúrgico pela via videolaparoscópica, no intuito de e atenuar o sofrimento de mulheres portadoras de endometriose severa, mioma, adenomiose dentre outras doenças, utilizando tecnologia avançada na cirurgia.

Deixe seu comentário