Gravidez cura endometriose e miomas?

A possibilidade de ficar infértil talvez seja o maior pesadelo das mulheres portadoras de endometriose, respeitando-se o fato de que é comum que o diagnóstico seja feito tardiamente.

A gente já disse aqui que a doença dificulta, mas não inviabiliza o sonho de ser mãe. E, quando a gestação finalmente se confirma, é motivo para muita alegria. Passada a euforia, porém, novos questionamentos passam a acompanhar as futuras mamães.

Se você já dedicou alguns minutos de seu tempo para pesquisa de informações sobre o tema, é bem provável que tenha lido por aí que a “gravidez cura endometriose”. Mas será que a informação procede? É o que você vai descobrir no post de hoje.

Engravidei e tenho endometriose. E agora?

A liberação de estrogênio durante a menstruação favorece a ocorrência de endometriose, tendo em vista que o efeito do hormônio é o mesmo nos fragmentos de endométrio que se encontram fora do útero, provocando os sangramentos.

Como a produção dessa substância diminui significativamente durante a gestação, a tendência é que o quadro de endometriose “estacione”. Mas é importante que se tenha uma real compreensão do que isso significa.

Em outras palavras, a evolução da endometriose tende a ser interrompida ao longo dos nove meses de gravidez. Porém, isso não significa que os focos já existentes vão desaparecer: eles ficarão “adormecidos” e poderão reaparecer algum tempo depois da mulher dar à luz, inclusive de maneira mais agressiva.

E com relação aos miomas?

Agora que você já sabe que a premissa de que gravidez cura endometriose não é verdadeira, falemos dos miomas. A maior parte deles não afeta a capacidade fértil, tampouco a gravidez. No caminho inverso, a gestação também não produz nenhum efeito específico – sejam eles positivos ou negativos – sobre as lesões.

Mas o risco de uma interferência não deve ser completamente descartado. Pequena parte deles pode crescer durante as doze primeiras semanas de gravidez, provocando dores que podem levar a internação.

Os miomas também podem provocar o deslocamento do feto, o que eleva as chances de cesárea, aborto ou parto prematuro. A seguir, veja como você deve agir neste caso.

Como deve ser o acompanhamento de uma gestação de uma paciente com miomas ou endometriose?

A gestação de uma mulher acometida por algum problema ginecológico – sejam eles mioma ou endometriose – precisa ser acompanhada de perto por um especialista para evitar complicações.

Via de regra, durante a gestação, são contraindicados tratamentos para inibir a endometriose ou retirar os miomas. Na maioria das vezes, é possível esperar o nascimento do bebê sem pôr em risco a integridade de ambos (mãe e criança).

Os cuidados devem ser redobrados especialmente no trimestre inicial da gravidez. Em algumas situações, os especialistas recomendam o uso de terapia hormonal, para elevar os níveis de progesterona. Depois, mesmo que haja algum foco de inflamação, são mínimas as chances de que ele represente um risco sério à gestação.

De todo modo, é essencial que seu ginecologista e seu obstetra estejam em contato constante. E qualquer incômodo ou sangramento anormal deve ser imediatamente comunicado à equipe médica.

Agora o que já sabe o que falar se te disserem que gravidez cura endometriose: com a gestação, os focos estacionam, mas não desaparecem. Para aprender mais sobre as doenças que acometem as mulheres, leia outros textos do nosso blog.

Desde a vida acadêmica, acompanhando Dr. Antonio Travessa – referência em Cirurgia ginecológica – Dr. Marcos Travessa desenvolveu especial interesse pelo Tratamento cirúrgico avançado de patologias ginecológicas. Sempre buscando o aperfeiçoamento da técnica cirúrgica, após sua formação ginecológica, especializou-se em cirurgia geral, momento que teve contato com a cirurgia videolaparoscópica. A partir desse instante, dedicou-se a especializar-se, dia a dia, no tratamento cirúrgico pela via videolaparoscópica, no intuito de e atenuar o sofrimento de mulheres portadoras de endometriose severa, mioma, adenomiose dentre outras doenças, utilizando tecnologia avançada na cirurgia.

Deixe seu comentário