Laqueadura: tudo o que você precisa saber – e ponderar – antes da cirurgia

Ser mãe é o um dos principais projetos de vida para muitas mulheres. Algumas delas, inclusive, ficam muito assustadas quando a sua capacidade fértil é prejudicada, como acontece com as portadoras de endometriose severa.

Mas também temos que pensar em pacientes com outro perfil, que já realizaram este sonho e conseguiram constituir família. Por diversos motivos, especialmente quando possuem mais de um filho, elas renunciam ao desejo de engravidar.

Uma vez amadurecida essa decisão, há quem prefira um método de esterilização definitiva, em detrimento aos anticoncepcionais, como pílulas, injeções ou Dispositivo Intra-Uterino (DIU), que apresentam maior probabilidade de falhas. O que você conhece sobre a laqueadura tubária?

O que é a Laqueadura Tubária?

A Laqueadura Tubária é um procedimento cirúrgico definitivo, nos quais são realizados dois pequenos cortes nas Trompas de Falópio, também chamadas de Tubas Uterinas, cujas extremidades são amarradas.

O objetivo da intervenção é impedir o encontro entre os gametas sexuais masculinos e femininos, inviabilizando, portanto, o processo de fecundação. Em termos práticos, há a interrupção do percurso feito pelo óvulo, que, depois de liberado, é transportado pelas trompas, onde permanece à espera de um espermatozóide para ser fertilizado.

Trata-se de uma cirurgia que não interfere no ciclo menstrual da mulher, tampouco inibe o processo de ovulação ou desregula a produção de hormônios. Esses processos metabólicos continuam ocorrendo normalmente, via de regra, até a chegada da menopausa.

Como é feita a Laqueadura Tubária Laparoscópica?

Embora existam outras técnicas para a realização de uma laqueadura, ou ligadura de trompas, elas não serão abordadas neste texto: hoje, vamos fornecer informações sobre a via laparoscópica.

A grande vantagem dessa abordagem, na qual são feitas pequenas incisões na região do abdômen para a inserção da microcâmera, é a rápida recuperação da paciente, que tende a receber alta no dia seguinte. No entanto, ao longo das duas semanas subsequentes à cirurgia, existem restrições à prática de algumas atividades.

É necessária a aplicação de anestesia geral e o procedimento leva, em média, duas horas. Em menos de 1% dos casos, a paciente pode ser acometida por algum efeito colateral: via de regra, o período pós-operatório transcorre sem grandes complicações.

O que considerar antes de se submeter a uma laqueadura?

Talvez o aspecto mais importante a ser considerado pelas mulheres que pretendem se submeter a uma laqueadura seja, curiosamente, a extrema eficácia desse método. A reversão de uma ligadura de trompas é possível, mas as chances de êxito são bastante remotas, menores do que 1%.

E é justamente pela possibilidade do arrependimento que você deve ter a certeza de que essa realmente é a sua vontade: lembre-se que, com o passar dos anos, os seus planos mudam. Considere a laqueadura sempre como uma última opção, caso todos os outros métodos contraceptivos não surtam o efeito desejado.

Antes de encerrarmos, ainda há tempo para uma última boa notícia à paciente: ao contrário do que prega o senso comum, não há comprovação de que mulheres que se submetem a essa cirurgia ganham peso com mais facilidade.

Compreendeu a importância de refletir bastante antes de se submeter a uma laqueadura tubária? Se você possui alguma dúvida sobre o tema ou já realizou a operação, deixe o seu depoimento nos comentários e interaja com outras mulheres!

Desde a vida acadêmica, acompanhando Dr. Antonio Travessa – referência em Cirurgia ginecológica – Dr. Marcos Travessa desenvolveu especial interesse pelo Tratamento cirúrgico avançado de patologias ginecológicas. Sempre buscando o aperfeiçoamento da técnica cirúrgica, após sua formação ginecológica, especializou-se em cirurgia geral, momento que teve contato com a cirurgia videolaparoscópica. A partir desse instante, dedicou-se a especializar-se, dia a dia, no tratamento cirúrgico pela via videolaparoscópica, no intuito de e atenuar o sofrimento de mulheres portadoras de endometriose severa, mioma, adenomiose dentre outras doenças, utilizando tecnologia avançada na cirurgia.

Deixe seu comentário