O que são varizes pélvicas e como tratá-las?

A aparição de varizes nas pernas é uma manifestação bastante comum. Via de regra, elas surgem quando há um excesso de dilatação das veias, em decorrência da grande quantidade de sangue acumulado.

Além de provocar dores e aumentar a sensação de cansaço, elas também representam um incômodo estético à paciente. Mas você sabia que essas anomalias podem surgir em muitas outras regiões do corpo, inclusive em lugares não visíveis?

No post de hoje, nós vamos explicar o que são varizes pélvicas, que fatores podem provocar o seu surgimento e qual a melhor maneira de tratá-las.

O que são varizes pélvicas?

Chamamos de varizes pélvicas aquelas que surgem em decorrência da dilatação de veias em torno do útero, trompas e ovários. Basicamente, os fatores que levam ao aparecimento são os mesmos em qualquer região do corpo, destacando-se o aumento da pressão arterial ou insuficiência de suas válvulas.

Sua incidência é mais frequente entre mulheres que já passaram dos 30 anos. Também fazem parte do grupo de risco aquelas que desenvolveram múltiplas gestações, possuem disfunções hormonais ou desenvolveram ovários policísticos.

Também menciona-se o fato de que essa patologia pode provocar alterações importantes na circulação sanguínea, uma vez que existe uma ligação direta entre o plexo venoso da região pélvica e as veias cava e renal, possibilitando a drenagem venosa da pele.

A que sintomas você precisa ficar atenta?

As varizes pélvicas são consideradas uma das principais causas da dor pélvica crônica, que também pode aparecer em decorrência de outros problemas ginecológicos, como a endometriose. Por isso mesmo, um diagnóstico preciso é fundamental para determinar o tratamento adequado, capaz de proporcionar mais qualidade de vida à paciente.

Outro sintoma bastante comum para as mulheres com varizes pélvicas são as dores durante o ato sexual. Com isso, as mulheres buscam evitar o contato íntimo com o parceiro. Se essa repulsa se tornar frequente, sem que ambos saibam a causa, isso pode representar um risco até mesmo para a continuidade do relacionamento.

Também merece atenção a presença de sangramentos, especialmente durante o período menstrual, além de inchaço ou incontinência urinária. O diagnóstico é feito por exames de imagem, como a ressonância magnética.

Há ainda o Eco-Doppler, um teste que identifica e analisa o fluxo das veias da porção inferior do abdômen, sem que haja necessidade de preparação prévia da paciente, entre outras opções.

Quais as possibilidades de tratamento?

O tratamento para varizes pélvicas pode ser medicamentoso ou cirúrgico. A definição da técnica mais adequada vai depender do histórico da paciente, do grau de comprometimento das veias e também da resposta do organismo às ações praticadas.

Nas linhas finais deste texto, é importante salientar que a portadora de varizes pélvicas pode engravidar normalmente, mas o ideal é que ela conclua o tratamento antes, uma vez que a gestação é um fator de risco e pode favorecer a dilatação das veias que circundam útero, trompa e ovários, como já dissemos antes.

Depois de entender o que são varizes pélvicas, leia nosso artigo que explica se a intensidade da dor pélvica é a mesma para todas as mulheres e descubra o que você precisa fazer para amenizar esse sofrimento. Até a próxima!

Desde a vida acadêmica, acompanhando Dr. Antonio Travessa – referência em Cirurgia ginecológica – Dr. Marcos Travessa desenvolveu especial interesse pelo Tratamento cirúrgico avançado de patologias ginecológicas. Sempre buscando o aperfeiçoamento da técnica cirúrgica, após sua formação ginecológica, especializou-se em cirurgia geral, momento que teve contato com a cirurgia videolaparoscópica. A partir desse instante, dedicou-se a especializar-se, dia a dia, no tratamento cirúrgico pela via videolaparoscópica, no intuito de e atenuar o sofrimento de mulheres portadoras de endometriose severa, mioma, adenomiose dentre outras doenças, utilizando tecnologia avançada na cirurgia.

Deixe seu comentário