Marque a sua Consulta

Pólipos Uterinos: o que são, sintomas, fatores de risco e tratamentos

Uma das causas mais frequentes de sangramentos anormais, tanto na pré quanto como na pós-menopausa, os pólipos endometriais, também conhecidos como pólipo no útero e pólipo do endométrio, é resultante de um crescimento atípico (neoplasia) de células endometriais unindo-se à mucosa do útero, também de nome “camada glandular”. Na maioria dos casos, o tumor é benigno, porém, diversos tratamentos e controles são recomendados para que não haja risco de o tumor se tornar maligno.

Realizando o diagnóstico do pólipo do endométrio

Na maior parte dos casos de pólipos endometriais, eles podem surgir e permanecer no organismo feminino sem demonstrar nenhum outro sintoma, dificultando o diagnóstico.

Por conta disso, é bastante comum detectar sua existência em exames ultrassonográficos feitos com o intuito de avaliar outros sintomas, o que reforça a importância dos exames preventivos para manter a saúde em dia.

Diagnosticar pólipos endometriais envolve analisar a cavidade uterina.

Um ultrassom regular (também chamado de ultrassonografia) normalmente faz o diagnóstico dos pólipos. Outro teste diagnóstico é a histerossalpingografia (HSG), que usa contraste sob pressão para abrir o útero e os tubos. Um rápido raio-X do útero é feito podendo ser detectado pólipos endometriais.

Embora raros em adolescentes, exames para avaliar a ocorrência de pólipos endometriais não devem ser descartados em nenhuma idade.

Quais são os sintomas de pólipos do endométrio?

Períodos menstruais irregulares,(atraso ou antecedência);
Forte fluxo incomum durante o período menstrual;
Hemorragia ou perda de sangue de cor anormal entre os ciclos, os pólipos são vascularizados e, assim, podem sangrar;
Manchas de cor rosa ou marrom na calcinha;
Anemia;
Sangramento após a menopausa;
Infertilidade.

Tratamento

A polipectomia através da vídeo histeroscopia cirúrgica pode ser indicada para todas as mulheres saudáveis, pois os pólipos podem dificultar a implantação do óvulo fertilizado no útero, o que diminui as chances de gravidez além de tratar aquelas mulheres que tem sangramento genital exacerbado por conta desses pólipos.

Nas mulheres após a menopausa os pólipos uterinos geralmente não apresentam sintomas, embora possam causar perda de sangue vaginal em alguns casos. Nestas a polipectomia é bastante eficaz para excluir neoplasia maligna do endométrio. A única forma de saber se o pólipo uterino tem a possibilidade de ser maligno é através de biópsia, que é recomendada para todas as mulheres que desenvolveram pólipos após a menopausa. Quanto mais idade tem a mulher, maiores serão as chances de desenvolver câncer endometrial.

Navegue pelos Tópicos

Receba dicas para
cuidar da sua saúde