Marque a sua Consulta

22/02/2018

Endometriose: Conheça 7 fatores que estimulam o aparecimento da doença.

A endometriose é uma doença que ainda não tem uma origem cientificamente comprovada, porém sabe-se que ela é estimulada por alguns fatores de risco, que contribuem para que a mulher desenvolva a doença, mesmo que muitos deles ainda dependam de comprovação especializada.

Conheça os 7 principais fatores de risco que estimulam o aparecimento e desenvolvimento da endometriose:

1 – Idade

A endometriose apresenta relação importante com a idade, limitada principalmente ao período entre a primeira e a última menstruação (menacme). Apesar de existirem relatos de casos de endometriose em mulheres que nunca menstruaram e naquelas que já estão na menopausa, a grande maioria dos estudos demonstra forte associação entre endometriose e idade reprodutiva.

Em 1999, dois autores (Propst e Laufer) demonstraram que 50% das adolescentes que sofrem com cólicas menstruais, e não melhoram após tratamento especializado, são diagnosticadas com endometriose.

No passado, vários autores acreditavam, equivocadamente, que a idade de maior risco para manifestação da endometriose era aquela do momento do diagnóstico. No entanto, sabe-se atualmente que o diagnóstico definitivo (realizado através de biópsia do tecido durante um procedimento cirúrgico), pode ser protelado por vários anos.

Isto acontece por conta da grande quantidade de medicamentos à disposição e que, indiretamente, por melhorarem os sintomas da doença, retardam a obtenção do diagnóstico definitivo. Alguns autores chegaram a mostrar que o intervalo entre o início dos sintomas e o diagnóstico conclusivo da endometriose pode variar de 8 a 10 anos.

2 – Raça

Atualmente, acredita-se que a maioria das pacientes com endometriose seja da raça branca, porém, ainda não é um dado conclusivo. Outros estudos demonstraram ocorrência comum da endometriose em mulheres orientais, mas também sem grandes comprovações.

3 – Grau de instrução e condição sócio-econômica

Vários autores demonstraram que as mulheres com endometriose tendem a apresentar melhor condição sócio-econômica e alto grau de instrução.

Não se sabe ao certo o motivo desta associação, mas acredita-se que estas mulheres estariam sujeitas a altos níveis de estresse, gerando maior distúrbio da parte imunológica e, portanto, maiores chances de desenvolver a endometriose.

Outra razão seria uma avaliação mais minuciosa e precoce dos sintomas de dor e infertilidade, com maior probabilidade de diagnóstico entre este grupo de pacientes, além destas mulheres apresentarem uma tendência maior em terem menos filhos e em protelar mais a gravidez em prol do sucesso profissional.

4 – Gestação

Acredita-se que o atraso para engravidar e o menor número de filhos, características das mulheres modernas, representam fatores de risco para a ocorrência da endometriose. Isso porque estas posturas estão associadas à maior ação dos estrógenos por mais tempo na vida da mulher, já que a gravidez representa um período de predomínio da progesterona, hormônio contrário ao estrogênio.

5 – Fumo

Mulheres tabagistas, acostumadas a fumar mais de vinte cigarros por dia, têm níveis de estrogênio menores e, teoricamente, menos risco para endometriose. No entanto, vários estudos controlados mostram resultados conflitantes além destas mulheres estarem mais sujeitas a doenças pulmonares crônicas e câncer de pulmão.

6 – Sedentarismo

Vários estudiosos destacaram os benefícios dos exercícios físicos para prevenir a manifestação da endometriose, caso sejam praticados desde cedo e regularmente, por ao menos duas horas semanais.

Os exercícios aeróbicos aumentam a produção de endorfina, que inibem o GnRH (hormônio produzido pelo hipotálamo que estimula a produção de estrógeno pelo ovário) e, consequentemente, reduzem a produção de estrógenos ovarianos, alimento da endometriose.

Além disso, o exercício aeróbico melhora a imunidade feminina, combatendo a evolução da doença.

7 – Antecedentes Familiares

Diversos estudiosos acreditam que existe uma predisposição genética para o desenvolvimento da endometriose. Alguns relatam índices de 4 a 6% de acometimento familiar nas portadoras da doença.

Acredita-se que a hereditariedade da endometriose pode ser explicada não só pela mesma herança genética, mas também por semelhanças no estilo de vida.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com o Dr. Marcos Travessa através dos comentários abaixo.

Fonte: Centro de Endometriose

#MaisLidas

17/12/2018

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Etiam eget mi tellus. Pellentesque lacinia congue tempus. Aenean eros nulla, lobortis et augue vel, aliquet posuere ligula. Vivamus sit amet ipsum lobortis, pulvinar nulla mollis, semper nisi. Donec iaculis nec sapien consequat.

17/12/2018

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Etiam eget mi tellus. Pellentesque lacinia congue tempus. Aenean eros nulla, lobortis et augue vel, aliquet posuere ligula. Vivamus sit amet ipsum lobortis, pulvinar nulla mollis, semper nisi. Donec iaculis nec sapien consequat.

17/12/2018

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Etiam eget mi tellus. Pellentesque lacinia congue tempus. Aenean eros nulla, lobortis et augue vel, aliquet posuere ligula. Vivamus sit amet ipsum lobortis, pulvinar nulla mollis, semper nisi. Donec iaculis nec sapien consequat.

Receba dicas para
cuidar da sua saúde