Marque a sua Consulta

18/05/2018

Você sabe o que é salpingectomia e quando essa cirurgia é indicada?

As trompas de Falópio ou tubas uterinas são o elo entre útero e ovários. É também nessa região que o óvulo se encontra com o espermatozoide, ocorrendo a fecundação.

Assim como outras partes do corpo, as tubas uterinas não estão livres de serem acometidas por doenças, infecções ou outras anomalias. No post de hoje, nós vamos explicar o que é a salpingectomia, em que casos ela é indicada, bem como todas as outras informações que você precisa saber sobre esse procedimento.

O que é a salpingectomia?

Salpingectomia é o nome dado ao procedimento para a remoção das tubas uterinas ou trompas de Falópio. Essa é uma das cirurgias ginecológicas, como são chamadas as intervenções realizadas em mulheres que estejam tratando de problemas no sistema reprodutor.

Em que casos a cirurgia é indicada?

Uma das indicações da cirurgia é a gestação ectópica, ou seja, quando a gravidez se desenvolve dentro da trompa. À medida que o embrião se desenvolve, a tendência é que haja a ruptura da trompa, provocando sangramentos intensos, que configuram uma ameaça à vida da gestante.  

Fazem parte do grupo de risco mulheres que desenvolvem a hidrossalpinge, um distúrbio onde a trompa perde sua função de transporte do óvulo e fica dilatada às custas do acúmulo de líquido – que pode ser sangue ou pus – o que provoca a obstrução das tubas.

Finalmente, o procedimento costuma ser indicado com frequência para pacientes que apresentam dificuldades para engravidar e estão em programação de FIV (fertilização in vitro). A salpingectomia também é necessária quando há o aparecimento de nódulos, especialmente quando a origem deles é indefinida.

Depois da salpingectomia, é possível engravidar?

A essa altura, você deve estar se questionando quais as chances de uma mulher engravidar após se submeter a uma salpingectomia. A resposta a essa pergunta depende das características da intervenção realizada.

Quando a operação é do tipo unilateral, ou seja, apenas uma das tubas precisa ser eliminada, a capacidade fértil da paciente mantém-se intacta. Já a salpingectomia bilateral, por sua vez, é realizada quando há a comprovada necessidade de extirpar as duas. Nesses casos, a fecundação torna-se inviável.

Falando em gravidez, salpingectomia e laqueadura são a mesma coisa?

Embora ambos os procedimentos sejam realizados nas tubas uterinas, é importante ressaltar que há uma diferença entre a salpingectomia e a laqueadura ou ligadura de trompas.

Ao contrário da salpingectomia, na cirurgia de esterilização feminina não há remoção do órgão: é feito um corte ou retirado um fragmento das trompas, com o único propósito de impedir o encontro de óvulos e espermatozoides. ?

Como é realizado o procedimento e quais os cuidados pós-operatórios?

Na maioria dos casos, é possível realizar o procedimento por meio de uma videolaparoscopia, ou seja, a técnica é minimamente invasiva. Sob anestesia geral, são feitas pequenas incisões na paciente, por meio da qual será inserida uma microcâmera.

No pós-operatório, pode haver alternância entre sensações de calor e frio, mas o médico tende a prescrever medicamentos para amenizar este incômodo. Caso o especialista prescreva alguma dieta, é importante que ela seja rigorosamente seguida.

É pertinente questionar o profissional sobre possíveis restrições à prática de atividade sexual. Do mesmo modo, é válido evitar a realização de grandes esforços físicos. Numa outra frente, pode ser necessário o uso de meias compressivas para prevenir a ocorrência de tromboses.

Além de explicar a você o que é salpingectomia, nosso blog também traz informações sobre outras intervenções ginecológicas: descubra em que casos é indicada a remoção dos ovários. Até a próxima!

Receba dicas para
cuidar da sua saúde