Marque a sua Consulta

10/08/2018

É possível prevenir a endometriose?

Diz um ditado popular que "é melhor prevenir do que remediar". De fato, essa é uma estratégia que traz excelentes resultados, vide a eficácia do Papanicolau no que diz respeito ao câncer do colo de útero.

Por conta disso, os médicos incentivam os pacientes a adotarem cuidados regulares com a saúde. Mas será que essa é uma recomendação que se aplica a todos os casos?

Hoje nós vamos esclarecer uma dúvida muito comum entre as mulheres: afinal de contas, é possível prevenir a endometriose? Continue a leitura para obter essa resposta!

O que você conhece sobre a endometriose?

Milhares de mulheres, especialmente as que se encontram em idade fértil, podem desenvolver a endometriose. A doença se manifesta quando fragmentos do endométrio, que deveriam ser expelidos pela menstruação, acabam migrando para diferentes partes do corpo.

Antes de saber se é possível prevenir a endometriose, é preciso conhecê-la um pouco melhor. É válido considerar que essa é uma doença crônica, tal qual a diabetes, ou seja, ainda não há cura.

No outro extremo, é importante considerar que, mesmo com a evolução da tecnologia, muitos aspectos sobre a endometriose ainda são desconhecidos. Existem muitas teorias – como a de que a de que esta seria uma condição autoimune – mas poucas comprovações.

Destaca-se ainda o fato que a doença não apresenta sintomas próprios. Ou seja, suas manifestações podem ser confundidas com muitas outras doenças, o que acaba retardando a busca por ajuda e a confirmação do diagnóstico.

Como evitar a endometriose?

Em meio a esse contexto, não existem métodos primários de prevenção, tendo em vista que não há uma única causa ou fator de risco associado ao desenvolvimento da endometriose.

A ausência de medidas específicas não significa, porém, que a mulher deva negligenciar os cuidados com a sua saúde. É recomendável que, desde a adolescência, a menina faça visitas regulares ao ginecologista, mesmo que não haja nenhum problema aparente.

A atenção deve ser redobrada nas primeiras manifestações de sintomas como dor durante o ato sexual, sangramentos, funcionamento anormal do intestino ou da bexiga durante o período menstrual. Quanto antes a doença for diagnosticada, ampliam as chances de melhores resultados

Por que, mesmo assim, é importante se cuidar?

Numa outra frente, a adoção de alguns hábitos pode, além de elevar a qualidade de vida, conter o avanço da endometriose. Uma dieta balanceada, por exemplo, pode elevar os níveis de imunidade do organismo.

A ingestão de determinados alimentos – como legumes, frutos secos, sementes e vegetais de folhas verdes – contribui para manter o peso corporal sob controle, além de ajudar a amenizar os incômodos provocados pela endometriose. Em contrapartida, é aconselhável a redução de carne vermelha, cafeína e gorduras trans, entre outros.

A prática de exercícios físicos – como yoga, pilates ou caminhada – com regularidade favorece a liberação de endorfina, que ajudam a reduzir os níveis de estrogênio, hormônio feminino cuja ação desencadeia a existência de focos da endometriose.

Como você percebeu, não é possível prevenir a endometriose, no sentido de tomar medidas para não desenvolver a doença. Mas a adoção de hábitos saudáveis, aliada a um acompanhamento adequado, pode preservar a sua qualidade de vida.

Gostou deste texto? Curta a página do Centro de Endometriose da Bahia no Facebook e seja informada sobre nossas atualizações?

Receba dicas para
cuidar da sua saúde