Marque a sua Consulta

10/09/2018

Como é feito o acompanhamento com nutricionista para endometriose?

Uma vez que o diagnóstico de endometriose tenha sido confirmado, a paciente é assistida não apenas pelo ginecologista. Ganha força a chamada abordagem multidisciplinar, na qual diferentes especialistas se unem para potencializar a eficácia do tratamento.

Nesse contexto, simultaneamente a outras intervenções clínicas ou cirúrgicas, o acompanhamento com nutricionista se tornou essencial para as portadoras de endometriose. Entenda como esse profissional pode contribuir para a melhoria da sua qualidade de vida!

Entenda como a nutrição ajuda na endometriose

Paralelamente ao uso de medicamentos, uma dieta balanceada pode amenizar sensivelmente as manifestações da endometriose. Reconhece-se a importância da nutrição funcional no combate aos processos inflamatórios, além de favorecer a desintoxicação hepática, por meio da liberação de toxinas endógenas e ambientais.

Sabe-se, por exemplo, que a evolução dos focos de endometriose está diretamente associada à produção de estrógeno, hormônio produzido no ciclo menstrual fisiológico.  Nesse contexto, sabe-se que alimentos ricos em fibras diéteicas podem ajudar a restaurar o equilíbrio hormonal.

Em meio às suspeitas de que a endometriose seria uma condição autoimune, uma dieta balanceada também é essencial para reabilitar ou fortalecer a imunidade do organismo.

Em termos práticos, como atua o nutricionista?

Nesse contexto, a presença de um nutricionista na equipe que acompanha a mulher é altamente recomendável. Usando de seus conhecimentos, ele deve realizar um diagnóstico do estado nutricional da paciente, para, em seguida, traçar estratégias em conjunto com os demais especialistas.

Como medida prioritária, podemos citar a necessidade de adequação ao peso considerado ideal, aliada à redução do percentual de gordura do corpo, o chamado tecido adiposo. Tais células favorecem a produção de substâncias inflamatórias.

Finalmente, na prescrição da dieta, é preciso inibir o consumo de alguns alimentos que podem agravar as manifestações, como gorduras saturadas, ácidos graxos, que podem acentuar as chamadas dores pélvicas.

Carboidratos com alto índice glicêmico, carne vermelha, glúten e cafeína também devem ser incluídos na lista de restrições e consumidos com extrema moderação.

Que alimentos ajudam a amenizar os sintomas da endometriose?

No extremo oposto, o acompanhamento com nutricionista deve privilegiar os alimentos com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Explicamos rapidamente os benefícios de alguns deles abaixo:

  • Vitamina E – o consumo de alimentos como abacate e azeite, que possuem vitamina E em abundância, ajuda a prevenir as agressões às camadas de gordura, que por sua vez podem favorecer a proliferação de focos da endometriose;
  • Fibras solúveis – presentes em cereais integrais, leguminosas, ameixas e maçãs, as chamadas fibras solúveis contribuem para a regulação do funcionamento do intestino. A ingestão de água também é útil para melhorar o fluxo intestinal.
  • Ômega 3 – a ingestão de alimentos ricos em Ômega 3 estimulam a ação da prostaglandina, substância que ajuda a combater as inflamações causadas pela endometriose. Presente especialmente em peixes – como o salmão, atum e sardinha – e sementes, como lichia e linhaç

Percebeu a importância do acompanhamento nutricional para endometriose? Assine a nossa newsletter para receber outros textos com cuidados e orientações sobre os principais problemas ginecológicos. Até a próxima!

Receba dicas para
cuidar da sua saúde