Marque a sua Consulta

11/01/2019

Quando a Fertilização In Vitro é indicada para portadoras de endometriose?

Doença crônica que acomete mulheres em idade fértil, suspeita-se que a endometriose se manifeste quando células do endométrio deixam de ser expelidos pela menstruação e acabam sendo transportadas, em sentido contrário pelas trompas, se implantando em diversos órgõas intra-abdominais, provocando um processo inflamatório nas regiões afetadas.

Por não apresentar sintomas específicos, muitas vezes a doença é diagnosticada tardiamente. Muitas mulheres, inclusive, só descobrem que são portadoras de endometriose ao enfrentarem dificuldades para engravidar.

O comprometimento da capacidade fértil é uma das principais consequências da doença. Por outro lado, as mulheres que desejam ser mães ainda dispõem de algumas alternativas de tratamento. Para alguns destes casos, a Fertilização In Vitro (FIV) é a indicação mais adequada. Continue a leitura!

De que maneira a endometriose compromete a fertilidade?

De maneira geral, as pacientes com endometriose têm a capacidade fértil comprometida por que os focos da doença causam danos às chamadas tubas uterinas, provocando mudanças anatômicas.

As chamadas aderências pélvicas reduzem a mobilidade das trompas, o que prejudica o transporte do espermatozóide até o óvulo, diminuindo as chances de concretizar a fecundação.

Ao mesmo tempo, também existem indicativos de que há uma redução na qualidade dos óvulos. Se a indicação for pela reprodução assistida, os focos de endometriose também afetam o percentual de nidação, que é a implantação do embrião no útero.

Quais os critérios para definir a indicação da Fertilização In Vitro?

Para definir o tratamento adequado para as pacientes com endometriose que desejam engravidar, o especialista precisa considerar uma série de fatores. O primeiro deles é avaliar as condições do casal: na mulher, é recomendável medir a reserva ovariana, simultaneamente a indicação do espermograma para o homem.

Além disso, é preciso realçar a influência da idade da paciente no sucesso do tratamento. Mulheres com mais de 35 anos, portanto, devem ser submetidas a uma avaliação mais criteriosa.

Também é importante avaliar o estágio em que se encontram os focos da doença: para casos mais leves de endometriose, a inseminação intrauterina pode ser suficiente, juntamente com o procedimento cirúrgico. Para as manifestações mais complexas, porém, a Fertilização In Vitro (FIV) é o procedimento mais indicado.

A endometriose pode atrapalhar a Fertilização In Vitro (FIV)?

A Fertilização In Vitro (FIV) é um método de reprodução assistida que manipula geneticamente os gametas masculinos e femininos. Trata-se de uma técnica indicada para pacientes que apresentem obstrução tubária ou nos casos em que as demais alternativas de tratamento não apresentam os resultados desejados.

Por parte dos especialistas em reprodução humana, também há o interesse em investigar se a taxa de fertilização é menor em mulheres portadoras de endometriose.

Em pesquisa publicada pela Rede Latino-Americana de Infertilidade, foram estudados os casos de 22416 mulheres. Deste total, 3583 pacientes eram portadoras de endometriose.

As principais conclusões deste estudo revelam que não houve diferença significativa entre as taxas de fertilização de portadoras ou não portadoras, bem como a probabilidade de o bebê nascer com vida.

Agora que você já entendeu qual a relação entre Endometriose e Fertilização In Vitro (FIV), descubra se a gravidez tem a capacidade de curar endometriose. Até a próxima!

Receba dicas para
cuidar da sua saúde