Marque a sua Consulta

08/03/2019

Março Amarelo alerta para a prevenção a endometriose

A tradição de colorir o calendário para alertar a população sobre a necessidade de se prevenir contra algumas doenças vem se tornando cada vez mais popular. Em alguns meses, inclusive, são realizadas várias iniciativas simultâneas, que abordam diferentes enfermidades.

Neste post, porém, nós vamos falar da campanha Março Amarelo, uma iniciativa que visa conscientizar mulheres sobre a endometriose. Quer entender por que essa mobilização é tão importante? Continue a leitura!

Qual a proposta da campanha Março Amarelo?

O terceiro mês do ano foi escolhido por especialistas do mundo inteiro para chamar a atenção das mulheres para a endometriose, uma doença crônica que se manifesta quando fragmentos de tecido endometrial (camada interna de células que reveste o útero) se implantam em locais fora do útero. Quando o estrogênio estimula essas células, tem início uma reação inflamatória nesses locais.

Um dos motivos pelos quais a comunidade médica investe em ações de conscientização, como o Março Amarelo, é a demora para se chegar ao diagnóstico. De acordo com projeções, as mulheres recebem a confirmação de que são portadoras de endometriose apenas sete anos e meio após a primeira consulta.

A dificuldade se explica, em parte, pela ausência de sintomas específicos: quando eles se manifestam, podem estar relacionados com outras doenças. Há ainda alguns casos nos quais as mulheres não percebem nada de anormal em sua rotina.

Por que é preciso acompanhar a evolução da endometriose?

Desde as primeiras suspeitas de endometriose, é importante que a paciente agende uma consulta com um ginecologista de sua confiança. Motivar as mulheres a cuidar mais de si mesmas é um dos principais objetivos da campanha Março Amarelo.

Esse acompanhamento é importante por que, em seu estágio mais avançado, a endometriose pode comprometer a capacidade fértil. Em outras palavras: não é impossível ser mãe, mas fica mais complicado realizar esse sonho.

Ademais, vale lembrar que, enquanto algumas mulheres não percebem nenhuma alteração significativa na sua rotina, outras são acometidas por uma condição incapacitante, que as impede de realizar suas atividades pessoais e de trabalho.

Entre os principais sintomas que podem indicar a presença de endometriose estão os sangramentos, especialmente ao evacuar ou urinar. Popularmente, a doença está associada aos chamados 5Ds: dificuldade para engravidar, dismenorreia (cólica menstrual), dispareunia (dor na relação sexual), dores pélvicas crônicas e disquezia(dor para defecar no período menstrual).

Quais as opções de tratamento e diagnóstico?

Para o diagnóstico de endometriose, os médicos podem solicitar vários exames, dentre os quais podemos incluir a ultrassonografia transvaginal e a ressonância magnética. Essa definição vai depender dos relatos feitos pela paciente, que receberá as orientações sobre como se preparar para o procedimento.

Na contramão das estatísticas, se o diagnóstico for feito precocemente, o tratamento clínico pode resolver. Se a doença já estiver em estágio avançado, por sua vez, geralmente recomenda-se a realização de uma videolaparoscopia. Dependendo da localização da lesão, um acompanhamento multidisciplinar garante melhores resultados.

Agora que você já entendeu como a endometriose pode afetar a sua vida, também pode ajudar a divulgar a campanha Março Amarelo. Compartilhe este post em seu Facebook para alertar suas amigas sobre a importância de se prevenir. Até a próxima!

Receba dicas para
cuidar da sua saúde