Marque a sua Consulta

24/05/2019

Livre-se das dores com a fisioterapia pélvica para endometriose

Uma das principais queixas das portadoras de endometriose são as dores que acometem a região da pelve. Essas manifestações podem ter intensidade variável, de um incômodo tolerável a uma condição que impede a mulher de executar suas atividades cotidianas.

Para qualquer um desses casos, a fisioterapia pélvica para endometriose pode ajudar a aliviar as dores. Essa é uma iniciativa que pode ser praticada isoladamente ou em conjunto com outros tratamentos, obedecendo as orientações da equipe médica.

Continue a leitura e entenda todos os benefícios da fisioterapia pélvica para endometriose, uma patologia conhecida como Doença dos Ds!

Qual a proposta da fisioterapia pélvica para endometriose?

Assim que recebe o diagnóstico de endometriose, o ideal é que a paciente receba o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, da qual o fisioterapeuta faz parte. Para atender a esses casos, porém, o profissional precisa, necessariamente, ter feito uma especialização.

Em seu dia a dia, esse profissional se concentra em fazer uma avaliação da região pélvica, além do abdômen e coluna. Na prática, isso requer a observação dos sistemas faciais, do alinhamento da musculatura e padrões de execução dos movimentos.

Como um complemento a avaliação, o fisioterapeuta deve fazer uma entrevista com a portadora, buscando, inclusive, conhecer o seu histórico familiar. De posse dessas informações, ele então irá elaborar um programa de exercícios individualizado, que atenda as necessidades daquela mulher.

Como a fisioterapia pélvica para endometriose ajuda a melhorar a qualidade de vida?

Ao frequentar sessões de fisioterapia pélvica para endometriose, a paciente vai perceber uma redução das dores pélvicas ou outros problemas diretamente relacionados, como, por exemplo, a postura antálgica, que é a posição encolhida, que a mulher se coloca para aliviar as dores.

Também se destaca um benefício que afeta diretamente a vida íntima da paciente, uma vez que a fisioterapia pélvica ajuda a diminuir as dores que costumam ocorrer durante ou após o ato sexual. Com isso, a tendência é que haja uma reaproximação com seu parceiro.

Finalmente, os exercícios contribuem para o fortalecimento da musculatura que compõe o assoalho pélvico, ajudando a reverter as alterações anatômicas provocadas pela existência de focos de endometriose.

Que exercícios e técnicas podem ser prescritos?

O profissional especialista em fisioterapia pélvica pode recorrer a várias técnicas ou exercícios combinados para que o tratamento alcance os resultados que dele se espera.

A eletroestimulação, por exemplo, tem como princípio básico promover o estado de analgesia. Em outras palavras, a intenção é reduzir a sensibilidade da paciente aos sinais de dor, por meio da exposição a pequenos e indolores níveis de corrente elétrica.

Também merecem destaque os tratamentos a base de gelo ou calor, conhecidos, respectivamente, como crioterapia e termoterapia. Além disso, a liberação miofascial proporciona o relaxamento dos músculos ao exercer pressão sob pontos específicos do corpo.

Finalmente, a reabilitação pode ter como ponto de partida a realização de determinados movimentos, conforme orientação do fisioterapeuta, em uma técnica que é conhecida como cinesioterapia.

Você se entusiasmou com os benefícios da fisioterapia pélvica para endometriose? Lembre-se de não tentar reproduzir nenhum exercício sem a orientação de um fisioterapeuta. Aproveite para agendar sua consulta com os especialistas do Centro de Endometriose da Bahia. Entre em contato pelo WhatsApp. Até a próxima!

Receba dicas para
cuidar da sua saúde