Marque a sua Consulta

14/02/2020

Cólica e endometriose: por que as dores são tão intensas?

Em alguns casos, essa é uma doença crônica silenciosa. Para outras mulheres, porém, a combinação entre cólica e endometriose produz um efeito nada agradável.

Em outras palavras, o grau de dor pode ser tão intenso, a ponto de impedir que a mulher execute as mais simples atividades em seu dia a dia. Quer entender melhor essa relação? Continue a leitura do nosso post de hoje!

 

Quando a cólica deixa de ser “normal”?

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que, em um quadro clínico considerado normal, a cólica menstrual deve ser sentida por até um ou dois dias, observando-se a clara regressão dos sintomas mediante a prescrição de um analgésico.

Por outro lado, é preciso redobrar a atenção se, mesmo após as recomendações médicas, os incômodos persistem – e até se tornam mais frequentes, a ponto de levar a uma condição incapacitante.  Neste caso, as cólicas se transformam em sintomas de alguma patologia e merecem ser investigadas com atenção;

É válido ressaltar que, além da mobilidade física – numa tentativa para se livrar das dores, a mulher permanece em postura antálgica (retraída) – há consequências que afetam também o aspecto emocional, que podem prejudicar o desempenho profissional e até mesmo os relacionamentos.

 

Mas, afinal, porque a endometriose aumenta as dores de cólica?

Entre as patologias que podem provocar o aumento das dores de cólica está a endometriose, especialmente quando ela se apresenta em estágio avançado. Quando não tratada de maneira correta, a doença provoca distorções anatômicas que afetam os órgãos do sistema reprodutor e outras estruturas da região pélvica.

Mas qual a relação entre cólica e endometriose? Por que as dores aumentam? Mediante a ação dos hormônios, a endometriose desencadeia reações inflamatórias em todos os órgãos nos quais há a presença de tecido endometrial. E uma das principais manifestações desse processo são os sangramentos.

A explicação biológica para o aumento das dores está justamente no contato do sangue com o tecido peritoneal. Isso acontece porque o sangue é uma substância com propriedades irritantes. 

Para desespero das pacientes, este é um processo que se repete mensalmente. No ápice das crises, muitas delas relatam a sensação de que é como se seus órgãos estivessem contorcidos.

 

Como aliviar as dores de cólica?

Uma vez que os incômodos provocados pelas cólicas estejam afetando a sua qualidade de vida, é essencial que a paciente procure um especialista. A tendência é a de que seja feita uma entrevista, para conhecer o histórico da paciente, associada a realização de exames de imagem.

Para casos mais leves, como já dito, o uso de analgésicos, combinado com a fisioterapia pélvica, tende a ser eficaz. Para pacientes com dores mais intensas e frequentes, no entanto, pode ser indicada a realização de um procedimento cirúrgico.

Mas, de todo modo, é importante lembrar que a endometriose é apenas uma das patologias capazes de acentuar as dores de cólicas. Por isso, é fundamental que a real causa dos incômodos seja identificada com precisão, para que seja possível definir o tratamento mais adequado e menos invasivo à paciente;

Agora que você já sabe qual relação entre cólica e endometriose, que tal entender melhor o que por que as aderências pélvicas incomodam tanto? Até a próxima!

Receba dicas para
cuidar da sua saúde