15/06/2021

É possível engravidar tendo mioma?

Essa é uma das perguntas mais comuns nos consultórios médicos de mulheres com diagnóstico ou suspeita de mioma. Mas pode acalmar o seu coração: a resposta, geralmente, é “sim, é possível engravidar”.

Mas, atenção: O uso da palavra “geralmente” na resposta acima não é uma escolha ao acaso.

Boa parte dos miomas não causam infertilidade. Eles são muito pequenos para trazer alguma consequência ou estão em uma região que não atrapalha o crescimento do feto. Mas há sim miomas que podem atrapalhar o desejo de ter filhos.

Entretanto, apenas 10% dos casos de infertilidade em mulheres está relacionada à presença de miomas. Alguns especialistas acreditam até mesmo que esse número seja muito menor, na casa dos 3%.

Para entender melhor se é possível engravidar tendo mioma, é preciso compreender primeiro quais são os tipos que existem.

Tipos de miomas

  • Mioma submucoso

O mioma submucoso é aquele que ocupa a cavidade interna do útero, o endométrio, que é justamente o local em que há o crescimento do feto. Nesse caso, existe o risco de infertilidade.

É importante ressaltar que esse tipo de mioma é raro. Estima-se que apenas 5% dos diagnósticos de mioma se refiram a miomas submucosos.

  • Mioma intramural

Como o nome diz, o mioma intramural é aquele que está fixado na parede do útero. É o tipo de mioma mais comum, responsável por 75% dos casos. Entretanto, nem sempre isso significa que a mulher não pode engravidar.

Apenas os casos em que o mioma é muito volumoso é que há o risco de infertilidade e/ou complicações relacionadas à gravidez. O problema pode ocorrer porque o mioma distorce a parede do útero, atrapalhando o crescimento do bebê.

  • Mioma subseroso

São os miomas que crescem para fora do útero, e respondem por aproximadamente 20% dos casos. Geralmente, eles não atrapalham em nada a fertilidade da mulher, salvo raras exceções.

Causa dos miomas

Não há uma resposta definitiva sobre as causas dos miomas, mas a medicina já sabe que sua incidência tende a diminuir após a menopausa. Os fatores de risco associados ao mioma são: obesidade, hipertensão e histórico familiar de miomas.

A doença também é mais comum em mulheres negras, as que tiveram a primeira menstruação muito jovens ou que engravidaram tardiamente.

Tratamento dos miomas

Nem sempre o mioma precisa ser “tratado”. Ele precisa, sim, de acompanhamento constante do seu médico. Entretanto, se houver sintomas (dores e sangramento, por exemplo) ou infertilidade, a retirada por meio de cirurgia pode ser recomendada.

A miomectomia pode ser realizada por meio de cirurgia robótica, laparoscopia, histeroscopia ou laparotomia. A cirurgia robótica, laparoscópica e a histeroscopia são cirurgias minimamente invasivas, feitas com auxílio de câmeras de vídeo e pinças de alta precisão. Esses métodos diminuem os riscos da cirurgia e o tempo de internação.

Já a laparotomia é a cirurgia tradicional, que envolve um corte no abdômen.

Pergunte ao seu médico qual é o tratamento ideal para você. A resposta vai depender da localização e do tamanho dos miomas e do seu planejamento familiar.

Quer saber mais sobre miomas e como eles afetam a sua saúde? Acompanhe nosso blog.

Receba dicas para
cuidar da sua saúde

Enviado com sucesso